Josiane Psicóloga e Psicanalista​​



Adolescência

Terminei de escrever meu trabalho sobre a adolescência e me permitam que eu divida com vocês um trecho da obra de Winnicott (psicanalista inglês) que achei muito bonito, intrigante e reflexivo. No livro "O brincar e a realidade", (1975, pág. 193):

"Outra fonte de confusão é a suposição corrente de que se as mães e os pais criarem bem seus bebês e filhos, haverá menos problemas. Longe disso!.....Se fizermos tudo o que pudermos para promover o crescimento pessoal em nossa descendência, teremos que ser capazes de lidar com resultados espantosos. Se nossos filhos vierem a se descobrir, não se contentarão em descobrir qualquer coisa, mas sua totalidade em si mesma, e isso incluirá a agressividade e os elementos destrutivos neles existentes, bem como os elementos que podem ser chamados de amorosos. Haverá uma longa luta, à qual precisaremos sobreviver". Bárbaro !!!!

Gostaria somente de fazer alguns comentários que na adolescência a infância é reeditada, e a adolescência é uma fase cheia de "turbulências e depressão". Eles se afastam dos pais para se ligarem aos grupos, se fecham no quarto, se isolam, rejeitam totalmente os pais (pais ficam muito magoados com isso mas precisam entender que para se independer eles precisam se afastar dos pais, é normal), demonstram serem "fortes como um touro" e daqui a pouco "frágeis como um bebê" e correm, voam aos braços dos pais (depois saem de novo). Interessante que nem todos passam pela adolescência, passam pela puberdade (que são as mudanças físicas), mas não pela adolescência. Quando não passam ou quando olhamos para nossa adolescência e nem conseguimos nos lembrar direito dela pode ser que "não tenhamos passado plenamente por ela" - uma pena! Sinal que alguma defesa psíquica foi levantada em virtude de situações insuportáveis na época, considerando a reedição da infância que é feita na adolescência.

Conclusão: "É sinal de saúde sentir toda agitação, toda mudança, toda turbulência e sentimentos de depressão da adolescência", e como Winnicott diz: "A adolescência não tem que ser curada, ela precisa ser vivida, é uma fase e passa". Os pais por sua vez, precisam sobreviver a tudo isso: "às mudanças no filho, à rejeição que os filhos fazem deles, ao luto daquela criança que eles tinham, do corpinho da criança, das atitudes e da companhia da criança". Nós pais temos que conter, ajudar e suportar essa fase de nossos filhos, lembrando que suportar nos dois sentidos da palavra; "de sermos suportes" e "de aguentarmos" passar também pela adolescência deles. Sobreviveremos !!!